BLOG MARCOS JUNIOR BJI

Campista que mora nos EUA relata atentado a sinagoga judaica



Uma campista relatou nas redes sociais, na tarde deste sábado (27/10), o medo e preocupação vividos por ela e outros moradores da cidade de Pittsburgh nos Estados Unidos, a mesma onde onze pessoas foram mortas e outras seis ficaram feridas durante um ataque em uma cerimônia do Shabat, na sinagoga Árvore da Vida. Segundo autoridades americanas um homem armado entrou no local e atirou contra o público que acompanhava o ato religioso. Ele portava um fuzil semi-automático AR-15 e várias pistolas.
Ryellen Joaquim, que era estudante de música do Centro de Cultura Musical de Campos, foi para os Estados Unidos fazer especialização em viola erudita, a jovem é aluna de uma conceituada instituição de ensino na cidade de Pittsburgh.
“Ninguém pode sair de casa. Agora confirmaram oito mortos. A senhora disse que isso nunca acontece aqui.  A gente está dentro de casa. É muito triste saber que tem gente morrendo lá dentro” contou Ryellen nas redes sociais. A estudante tranquilizou familiares e amigos informando que estava bem.

A informação sobre as vítimas foi anunciada pelo diretor de segurança pública da cidade americana, Wendell Hissrich. Até o início da noite onze mortes foram confirmadas, o ataque aconteceu no bairro de Squirrel Hill em Pittsburgh, centro histórico da comunidade judaica na cidade. Segundo Hissrich, quatro feridos são policiais e nenhuma criança foi morta no tiroteio. Um suspeito foi preso e levado ao hospital.
O FBI (Polícia Federal Americana) está investigando o ataque como crime de ódio e acusações criminais devem ser apresentadas ainda neste sábado.
Autoridades confirmaram ainda que o suspeito esta sob custódia e foi identificado como Robert Bowers, de 46 anos. Ele teria gritado insultos antissemitas durante o ataque. De acordo com relato de testemunhas, o suspeito entrou no templo armado com um fuzil semiautomático AR-15 e várias pistolas.
A sinagoga Árvore da Vida estava lotada, os integrantes se reuniram por causa do serviço religioso do Shabat judaico.

Fonte: Redação/G1

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Postagem Anterior Próxima Postagem