BLOG MARCOS JUNIOR BJI

Polícia faz novas investigações em caso de aborto clandestino em Bom Jesus do Norte

 A suspeita de realizar o procedimento foi indiciada por aborto, mas o MPES devolveu o caso para a polícia para novas diligências. A vítima, de 31 anos, estava grávida de dois meses e morreu durante a intervenção






Após quatro meses, a Polícia Civil de Bom Jesus do Norte, no Sul do Espírito Santo, continua investigando o caso de uma mulher, de 31 anos, que morreu após tentar fazer um aborto clandestino. O fato aconteceu no dia 02 de junho e, na época, uma suspeita de ter feito o procedimento ilegal foi presa pelo crime. O inquérito foi concluído e encaminhado ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES), mas foi devolvido à polícia para um aprofundamento da investigação.

 A vítima, estava grávida de dois meses e pagou R$ 800 para uma mulher, de 48 anos, realizar o aborto. Durante o procedimento a gestante não resistiu e morreu.


Segundo o delegado Sandro Zanon, o inquérito da Polícia Civil foi concluído e a mulher suspeita de ter feito o procedimento, que confessou ter participado do procedimento clandestino, foi indiciada por aborto praticado em terceiros com consentimento. O caso foi encaminhado ao MPES, mas foi remetido novamente à polícia para novas diligências.


“Estamos aguardando a vistoria do celular da vítima e da autora para verificar se de fato foi um caso isolado ou se ela já vinha fazendo esse comportamento, essa atividade, com outras pessoas. Essa análise é feita pela perícia técnica em Vitória e aguardamos os laudos”, revela o delegado.


O prazo para devolver o processo novamente ao MPES é de 30 dias e o período pode ser prorrogado, caso a perícia não fique pronta. A mulher presa pelo crime foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro de Itapemirim, mas por conta da pandemia do novo coronavírus conseguiu liberdade e responde em prisão domiciliar.

Por Marcos Junior

Postagem Anterior Próxima Postagem